domingo, 15 de abril de 2018

Inovação e Mercado: 8 Tendências do Futuro da Engenharia


A engenharia é uma das profissões mais antigas do mundo. Obras monumentais como as pirâmides do Egito e o Coliseu de Roma são provas vivas de que os engenheiros atuam desde épocas remotas da humanidade.

Só que o tempo passa e as coisas mudam. E essa evolução alcança até as mais tradicionais profissões. Os engenheiros de hoje não se formam do mesmo jeito que os profissionais de 10, 20 ou 30 anos atrás.

As evoluções tecnológicas e a realidade da globalização transformaram drasticamente as profissões e o universo do mercado de trabalho, principalmente para a engenharia.

Se você conhece bem essa realidade e sabe a importância de manter-se sempre atualizado em sua profissão, certamente há de se deleitar com a leitura deste artigo.

Nele, listamos 8 tendências do futuro da engenharia para que você esteja preparado a fim de enfrentar os desafios do competitivo mercado de trabalho, principalmente na batalha que se estabelece em busca das melhores colocações. Confira!

1. O VIÉS DA ENGENHARIA SUSTENTÁVEL
O meio ambiente já vem mostrando que não suporta mais o uso irracional de seus recursos. Um bom exemplo disso são as mudanças climáticas, assunto que é, inclusive, pauta da agenda das maiores economias mundiais.

É nesse contexto que se insere a base da engenharia sustentável. Nela, conceitos como sustentabilidade e uso racional dos recursos naturais são a base de uma nova linha de pensar e projetar.

Trata-se de uma área interdisciplinar na qual o engenheiro precisa estar atento a todos os requisitos da legislação e aberto a uma convivência com profissionais dos mais diversos campos, já que, geralmente, as soluções nesse setor envolvem um trabalho de interação e cooperação.

2. VALORIZAÇÃO DA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL
Parece óbvio falar em qualificação profissional como uma tendência, mas acredite: ela é. Em tempos de crise, como o que estamos vivenciando atualmente, é natural que as pessoas padeçam de um certo desânimo e, consequentemente, abandonem um pouco o processo contínuo de qualificação. Erro crasso!

A qualificação jamais deve ser esquecida, principalmente para aqueles profissionais que almejam melhores colocações na organização.

Nesse sentido, persistir na sua rotina de cursos e capacitações, principalmente aqueles relacionados às áreas de gestão de projetos, processos e negócios, é praticamente uma condição indispensável para alavancar a carreira e alcançar o reconhecimento profissional.

3. DESAFIOS DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA
Lidar com os escassos recursos naturais constitui um dos principais desafios que se impõem às gerações presentes e futuras. A área de eficiência energética trabalha justamente nesse nicho: propor soluções para os processos e projetos, adotando conceitos de utilização racional dos insumos energéticos.

Trata-se, portanto, de um tema abrangente e diversificado, que requer dos profissionais capacitação constante no sentido de gerar competências que possibilitem uma atuação pautada em conceitos de racionalidade e eficiência no uso de recursos naturais.

4. AUTOMATIZAÇÃO DOS PROCESSOS
Outra tendência muito forte nos diversos segmentos da engenharia é a automatização. Cada vez mais os processos construtivos e produtivos passarão a ser automatizadas. E isso já é uma realidade.

Pouco a pouco alguns serviços manuais começarão (e já começaram!) a desaparecer, resultando em uma substituição gradativa de parte da mão de obra humana por equipamentos e máquinas automatizados.

Nesse contexto de transformação, um profissional com habilidades e capacitação especializada torna-se peça chave para condução desse processo.

5. USO DE FERRAMENTAS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
Imagine uma empresa que ainda vive de enviar suas correspondências via telegrama. Conseguiu imaginar esse cenário? Provavelmente não, não é mesmo?

Isso porque o universo digital abraçou praticamente todas as atividades de nossa vida, incluindo aquelas realizadas no ambiente corporativo.

Hoje é praticamente impossível gerenciar equipes e processos sem o uso da tecnologia da informação. A utilização de ferramentas e aplicativos computacionais no ambiente de trabalho deixou de ser um luxo para se tornar praticamente uma questão de sobrevivência.

Estar alinhado a essas ferramentas e ter flexibilidade e interesse para acompanhar as rápidas e constantes evoluções de métodos e técnicas computacionais é mais uma habilidade que o profissional da engenharia precisa cultivar.

6. AVANÇOS NA BIOMEDICINA
Uma das previsões com maior chance de se tornar realidade é, sem sombra de dúvidas, o crescimento da área de biomedicina, ou seja, o campo de atuação que alia conhecimentos da engenharia com os conceitos da medicina.

Caso esteja pensando em investir em uma formação promissora, pode apostar nessa área: a demanda por profissionais desse setor vem aumentando muito nos últimos anos, apesar da oferta de cursos ainda ser bem baixa no país.

7. RETOMADA DO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL
A engenharia civil é uma das mais tradicionais e procuradas profissões entre os amantes da área tecnológica. É bem verdade que o setor da construção civil sofreu um certo baque nos últimos tempos em função da crise econômica do país.

Mas o fato é que o crescimento do setor é algo tido quase como certo. Isso porque a construção civil é um dos campos mais importantes da economia.

Para se ter uma ideia da dimensão da construção civil, estima-se que o setor seja responsável por cerca de 6% do PIB (soma de todos os bens e serviços produzidos em um país) do Brasil, segundo estudos realizados pela CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção).

Ou seja: pode continuar apostando nessa área. Mais dia menos dia a indústria da Construção Civil há de se reerguer. E certamente será com força total!

8. FOMENTO À ENGENHARIA DE PRODUÇÃO
O consumidor de hoje já não é mais o mesmo. A cada dia exige-se mais dos setores de produtos e serviços, seja por meio de uma maior oferta no mix de produtos, na redução dos prazos ou no aumento da qualidade.

Nesse contexto, a produção deixa de ser um tema só do universo dos administradores para ser um assunto também para os engenheiros.

Isso porque as indústrias e empresas necessitarão cada vez mais de profissionais capazes de acompanhar todo o ciclo produtivo, desde as etapas iniciais de planejamento do negócio e análise das demandas, até as etapas produtivas propriamente ditas, mediante controle da produção, logística e planejamento operacional.

Enfim, esse é um forte indício de que a profissão do engenheiro de produção tende a se firmar como uma das ocupações mais disputadas nos próximos anos.

Como você percebeu, as inovações estão em quase todos os setores e ramos da engenharia. E nesse cenário de constante evolução, o melhor que o profissional tem a fazer é se atualizar sempre!

Fonte: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Legislação: Edifícios de uso público e comercial deverão ter plano de manutenção de sistemas de ar-condicionado

A Lei Federal nº 13.589, publicada no dia 4 de janeiro pelo presidente Michel Temer, torna obrigatória a execução de um plano de manutençã...